Bem Vindos - Welcome - Bienvenidos - Benvenutto

Objetivei com a idéia deste blog, compartilhar com todos os amigos e interessados em cultura, literatura, crítica e incentivo, um pouco sobre meus conhecimentos e sobre mim.
Aqui, você pode e deve expressar sua opinião a respeito do conteúdo, através de seus comentários, em-mails ou enquetes. Você pode também compartilhar o conteúdo em suas redes sociais.
Agradeço a todos os leitores e visitantes!
Namaste!

CasadeLilo, desde 2008

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Escrito um dia

"Dias sorrindo
Dias vivendo,
Dias correndo
Dias morrendo.

As horas se passam,
De modo que façam
Que este passado;
Vire história.

Hoje escrevo,
Amanhã lerás.
No futuro haverá,
Quem um dia - em segredo
Viverá.

Desejos de cor,
Promessas de amor,
Ferem;
Não curam,
Ardem;
Não matam,
Afetam.
Indolor?!
Sentidos,
Sentimento;
Dúvida.

Me estreito insano;
Em instante adolesço.
Em prosa
Meio 'piano',
Sozinho e cantando;
Por ora, esqueço.

Dias de glória,
Dias de amor.
Dias de paz,
Lá trás.
Hoje dor,
Hoje fúria veraz.
Hoje saudade,
Hoje desejo, vontade.

Ânsia de que ressurgirão,
Dias iguais não voltarão.
Ânsia que o que venha,
Seja fruto da lembrança;
Deixada na vida
Eternamente, no escrito
Hoje."

por Lincoln Oms

..e O Vento Deixou

"Nos passos mais distantes,
Encontro fórmulas secretas;
Nos traços mais marcantes,
A vida, discreta.

Em seu espaço,
Os cantos mais eruditos.
Os ventos sopranos,
Trazem dos cânticos que faço,
Os mais bonitos.

Nos teus braços,
A lembrança.
Em seus olhos,
A esperança.
Seu toque?
Sim, balança.

Das benevolências da vida,
A inocência sofrida;
A velha criança, soberana, amarga;
Se leva pelos gestos,
Até que ínfima, tarda;
Se permite levar em cinzas sopranas,
Aos ventos que sempre hão de voltar.

Caminha,
Ainda Longe;
Descolorindo seus passos,
Pálida, assombra,
O ventre de seus pedaços.

Se faz dura, a perda;
Se faz severa.
Das faces da vida,
Vezes, não muito se espera.
Temes?
Pois bem, te esmera!

Neste formulário suponho,
Perfis imagino.
Discreto, disponho;
Sonhos não sonhados.
Mas em minhas canções - bonitas;
Coleciono corações, pepitas,
Coleciono sentimentos.

Vão-se folhas,
Vão-se cinzas.
Entre idas e vindas,
Vai-se o feio;
Fica o belo.
Distante do vento; o que este deixou,
Tudo que sinto, meu elo."

Por Lincoln Oms

Manual do Novo Amante

"E mudou.
O vento soprou,
O mundo girou.

A alegria tomou
O sorriso sincero;
O amor chegou,
Este é o elo.

Sem ânsias,
Angustias e afins;
São melodias,
Doces cantigas
Trazidas por serafins.

Hoje
Brilha os olhos de poeta,
Contraste maior que o arco
Iluminando a mão destra.

Ouça
Sonhos são possíveis,
Amar é visível.

Creia,
O amor está no centro,
Em suas portas
Abra-as!

Como?
Sinta!
Viva!
Almeje!

Agora permita-se!
Junte-se aos anjos.
Eles podem ouvir,
Você; sentir!
Faça desta cidade, sua.
Ampare o Sol,
Como as estrelas, a Lua.

Respire,
Liberte-se,
Corra!
Busque forças para o riso.
Encontre a felicidade;
Foque o preciso.

Caminhe,
Se deixe palpitar.
Pule,
Acredite em experimentar.

Saiba, sábio leigo,
O tempo traz consequências...
Fatos que ensinarão;
Indulgências virão,
Até que aprendas a amar.

Deixe-se levar
Até o equilíbrio.
Encontre entre galhos,
Lírios.

Atente:
Não prossiga buscando à sua frente
Quando não houver quem te busque.
Atrás dessa jornada,
Só é possível amar,
Quando já és pessoa amada.

Chore...
Procure livrar-se do peso.
Se Abrace...
Estabilize sentimentos coesos.

Antes de ofertar-se a outrém
Possua a si mesmo.
Conheça-se!
Para que tenha forças a arcar
Com o anel que pesará em seu dedo;
E pertencerá ao seu coração.

Amor verdadeiro,
Encontra-se por trás
Do seu sentimento
Por ti, ante tudo."

por Lincoln Oms

terça-feira, 28 de julho de 2009

Sentença

"Através dos seus olhos,
Foco a inveja.
Por dentre teu corpo;
O reflexo,
De minha vida cultuada,
Minha fala roubada
No sequestro da autenticidade.

Em seus atos,
A prova.
Em seus braços,
A derrota;
Fato que te isola.

Em sua casca,
A minha - camuflada;
Em sua face - desavergonhada;
Um roubo sutil
Pobre criatura mal amada:
Comportamento hostil.

A Tentativa inapta
Da cópia perfeita,
Se desfaz por natureza:
Em sua beleza desfeita.

Verme amaldiçoado,
Cultua meu corpo
Em seu fracasso marcado.
Acéfalo desafortunado;
Do seu conceito torto
Passarás de réplica
A morto;
Por meu feitiço macabro.
Salve! Salve! Salve!
Saravá!
Kara kabicili meupaixangô

Abandona o fardo
Encare os traços do 'não ser eu';
Eu imperfeito, tardo;
Foge agora
Antes que te sentenciem:
Morreu!"

por Lincoln Oms

Receba as atualizações em seu e-mail.

Like!