Bem Vindos - Welcome - Bienvenidos - Benvenutto

Objetivei com a idéia deste blog, compartilhar com todos os amigos e interessados em cultura, literatura, crítica e incentivo, um pouco sobre meus conhecimentos e sobre mim.
Aqui, você pode e deve expressar sua opinião a respeito do conteúdo, através de seus comentários, em-mails ou enquetes. Você pode também compartilhar o conteúdo em suas redes sociais.
Agradeço a todos os leitores e visitantes!
Namaste!

CasadeLilo, desde 2008

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Escrito um dia

"Dias sorrindo
Dias vivendo,
Dias correndo
Dias morrendo.

As horas se passam,
De modo que façam
Que este passado;
Vire história.

Hoje escrevo,
Amanhã lerás.
No futuro haverá,
Quem um dia - em segredo
Viverá.

Desejos de cor,
Promessas de amor,
Ferem;
Não curam,
Ardem;
Não matam,
Afetam.
Indolor?!
Sentidos,
Sentimento;
Dúvida.

Me estreito insano;
Em instante adolesço.
Em prosa
Meio 'piano',
Sozinho e cantando;
Por ora, esqueço.

Dias de glória,
Dias de amor.
Dias de paz,
Lá trás.
Hoje dor,
Hoje fúria veraz.
Hoje saudade,
Hoje desejo, vontade.

Ânsia de que ressurgirão,
Dias iguais não voltarão.
Ânsia que o que venha,
Seja fruto da lembrança;
Deixada na vida
Eternamente, no escrito
Hoje."

por Lincoln Oms

..e O Vento Deixou

"Nos passos mais distantes,
Encontro fórmulas secretas;
Nos traços mais marcantes,
A vida, discreta.

Em seu espaço,
Os cantos mais eruditos.
Os ventos sopranos,
Trazem dos cânticos que faço,
Os mais bonitos.

Nos teus braços,
A lembrança.
Em seus olhos,
A esperança.
Seu toque?
Sim, balança.

Das benevolências da vida,
A inocência sofrida;
A velha criança, soberana, amarga;
Se leva pelos gestos,
Até que ínfima, tarda;
Se permite levar em cinzas sopranas,
Aos ventos que sempre hão de voltar.

Caminha,
Ainda Longe;
Descolorindo seus passos,
Pálida, assombra,
O ventre de seus pedaços.

Se faz dura, a perda;
Se faz severa.
Das faces da vida,
Vezes, não muito se espera.
Temes?
Pois bem, te esmera!

Neste formulário suponho,
Perfis imagino.
Discreto, disponho;
Sonhos não sonhados.
Mas em minhas canções - bonitas;
Coleciono corações, pepitas,
Coleciono sentimentos.

Vão-se folhas,
Vão-se cinzas.
Entre idas e vindas,
Vai-se o feio;
Fica o belo.
Distante do vento; o que este deixou,
Tudo que sinto, meu elo."

Por Lincoln Oms

Manual do Novo Amante

"E mudou.
O vento soprou,
O mundo girou.

A alegria tomou
O sorriso sincero;
O amor chegou,
Este é o elo.

Sem ânsias,
Angustias e afins;
São melodias,
Doces cantigas
Trazidas por serafins.

Hoje
Brilha os olhos de poeta,
Contraste maior que o arco
Iluminando a mão destra.

Ouça
Sonhos são possíveis,
Amar é visível.

Creia,
O amor está no centro,
Em suas portas
Abra-as!

Como?
Sinta!
Viva!
Almeje!

Agora permita-se!
Junte-se aos anjos.
Eles podem ouvir,
Você; sentir!
Faça desta cidade, sua.
Ampare o Sol,
Como as estrelas, a Lua.

Respire,
Liberte-se,
Corra!
Busque forças para o riso.
Encontre a felicidade;
Foque o preciso.

Caminhe,
Se deixe palpitar.
Pule,
Acredite em experimentar.

Saiba, sábio leigo,
O tempo traz consequências...
Fatos que ensinarão;
Indulgências virão,
Até que aprendas a amar.

Deixe-se levar
Até o equilíbrio.
Encontre entre galhos,
Lírios.

Atente:
Não prossiga buscando à sua frente
Quando não houver quem te busque.
Atrás dessa jornada,
Só é possível amar,
Quando já és pessoa amada.

Chore...
Procure livrar-se do peso.
Se Abrace...
Estabilize sentimentos coesos.

Antes de ofertar-se a outrém
Possua a si mesmo.
Conheça-se!
Para que tenha forças a arcar
Com o anel que pesará em seu dedo;
E pertencerá ao seu coração.

Amor verdadeiro,
Encontra-se por trás
Do seu sentimento
Por ti, ante tudo."

por Lincoln Oms

terça-feira, 28 de julho de 2009

Sentença

"Através dos seus olhos,
Foco a inveja.
Por dentre teu corpo;
O reflexo,
De minha vida cultuada,
Minha fala roubada
No sequestro da autenticidade.

Em seus atos,
A prova.
Em seus braços,
A derrota;
Fato que te isola.

Em sua casca,
A minha - camuflada;
Em sua face - desavergonhada;
Um roubo sutil
Pobre criatura mal amada:
Comportamento hostil.

A Tentativa inapta
Da cópia perfeita,
Se desfaz por natureza:
Em sua beleza desfeita.

Verme amaldiçoado,
Cultua meu corpo
Em seu fracasso marcado.
Acéfalo desafortunado;
Do seu conceito torto
Passarás de réplica
A morto;
Por meu feitiço macabro.
Salve! Salve! Salve!
Saravá!
Kara kabicili meupaixangô

Abandona o fardo
Encare os traços do 'não ser eu';
Eu imperfeito, tardo;
Foge agora
Antes que te sentenciem:
Morreu!"

por Lincoln Oms

sexta-feira, 13 de março de 2009

Solidão

A grande amiga Mayla, pelo carinho e por horas das madrugadas e de teses boêmicas em conjunto de divagações ao definir Solidão...

"Por mais que os ventos soprem às margens de um nada,
Por mais que a chuva faça o inverso dos rios,
Sempre a solidão é acompanhada,
De lembranças,
De momentos,
De paz,
De sentimentos.
De amigos;
De sorrisos.
Dentre as sensações;
Calafrios.
Mas sempre será solidão,
Solidão rudimentar de alternativas compostas de amigos,
Amigos que fazem vez de Vento, de Chuva e de Rios."

Por Lincoln Ohszmãnn

terça-feira, 3 de março de 2009

Eu Liricando - Me diz apenas o que eu quero ouvir!

As vezes suspiro por saber que seu sorriso me ilumina..

As vezes canto.. pra interpretar suas vozes que me acompanham..

As vezes danço.. por sentir sua presença em meu coração

As vezes me sinto feliz.. por te consumar em mim, como minha grande paixão!

As vezes sofro por não te ter por perto..

Mas me conforta saber que me amas, e isso é certo..

Encontrei-te em busca de carinho,
E hoje em preces, devaneio por seguir nosso caminho.

Degusto o sabor de seus beijos,
E em nossos profundos amores,
Intensifico meus desejos.

Faço de ti minhas loucuras,
E do seu poderio de me enlouquecer a minha cura!

Não apenas te amo, como te quero,
E por mais tempo que leve e longe que estejas,
Eu te espero!"

Por Lincoln Ohszmãnn

Beijo

Caminhando vagamente,
Em prosa fiz meus versos,
Sorrindo contente,
Nada ao inverso.

Rimo dias por passar,
Passo dias por rimar,
Faço poesias de um poeta;
E dos poetas, poesias.

Trago luz,
Trago paz,
Divago em palavras;
Alegria.

Percorro longe,
Palavras súbitas,
Ausentam-me o fôlego,
As virgens súditas.

Ao encoberto véu,
Descubro propostas,
Do amor sou réu,
Já perdi as apostas.

Ainda em movimento,
Tenho percorrido meu momento,
E rendido pelo seu amor,
Tenho feito meus intentos,
Súdito de suas promessas,
Entreguei-me ao seu encanto,
Seguro de seus planos,
Me entrego, portanto,
Ao desejo de nos ter unidos,
Em nosso mundo de flores e florestas.

Me disperso em horas por passar,
Ao esperar nosso tempo,
Mau posso esperar,
O nosso momento,
Onde nada mais se resume,
Além de um desejo,
O poder do sentimento,
E a vontade de um beijo;
O seu beijo."

Por Lincoln Oms

Eu Liricando - Amor

Não sei mais como controlar o coração, que te anseia e deseja a todo momento, a todo instante.. Que eterniza a todo tempo essa linda paixão.

Não sei mais viver sem seu carinho, sem seu rosto em meus dias, não sei mais sorrir, sem você pra me trazer alegrias.

Anseio cada dia estar mais perto de ti, anseio cada dia.. Um a menos pra eu te ver, e um a mais pra ostentar essa saudade.. Sei que deveras é em reciprocidade, mas machuca tanto.. Quanto o fato da distância.

Choro ansiando sua vinda.. E de saudades que de ti são provindas.. Nunca me senti tão absorto.. Nunca divaguei descontroladamente, como sonho acordado hoje, todo o tempo e o dia todo, seu amor em minha mente.

Não te sei negar esforços, e mesmo no avesso do esforço feito.. Quero que tudo seja único.. Que nosso amor seja perfeito.

Almejo os instantes ao seu lado, almejo te ter, almejo seus abraços, almejo “aquele” seu beijo roubado.. Suas carícias, minhas primícias.. Que me absorvem por inteiro.. Ao seu instinto de seduzir.. De me conduzir ao seu poder me fazer sentir-se amado.. Porque você é pra mim.. Mais que tudo.. Meu primeiro grande e verdadeiro amor..E meu eterno amado!


Por Lincoln Ohszmãnn

Distância

“ Nas mais profundas e sinceras palavras
Por mais que feitas em oitavas,
Contadas o segundo, o minuto o instante,
Que adiante,
Não se sabe o caminho.

Destino,
Já como um pequeno menino,
Caminha incontrolável e imprevisivelmente,
E a cada passo, a cada pensamento,
Entra em uma confusa sintonia,
Alegria, felicidade,
Logo,
Tristeza, calamidade.


O conforto que vêm,
Através das sinceras palavras,
Trás paz..
Vontade.

Mas em indescritíveis momentos..
Se passa,
Mutando de uma maneira absorta,
Momento que é, se transforma,
E em instantes..
Já não se sabe.

A angústia de conviver na dúvida,
De viver na esperança eterna!
De viver na distância
Na condição enferma,
Que de grande importância,
Fere os sentimentos resguardados

O medo de viver..
Não sabendo o futuro
Que mesmo que lindo até então,
Torna-se obscuro
E em uma inocente e involuntária ilusão,
Toma por todo..
O coração.

É tão bom sentir,
Estar,
Amando.

As borboletas,
Voando,
Colorem cada movimento...
E o doce som das águas,
Sussurra docemente ao pé do ouvido,
Silencioso, como que escondido,
Proferem as palavras
Adocicadas como o destino,
Como aquele menino.


Caminha-se juntos..
Por caminhos semelhantes
O alvo sempre avante
Mas os obstáculos
Separam os corpos,
Que antes mortos,
Hoje, ainda acesos,
Estão coesos com o acontecimento,
Mas não apoiando então,
Sofrem de amor..
Sofrem com paixão.

Os caminhos se estreitam
Aproxima-se o calor agora,
Mais que outro dia outrora,
Mesmo que perto,
Ainda distantes,
Dias marcantes.

Como que perante o tesouro,
E as mãos atadas em filamentos de couro,
E nada possibilitando o contato,
Insensato.

Cruelmente dói dentro do peito sofrido,
Hoje esquecido,
Mesmo que contente,
Exala o que se passa,
Derrubando as últimas e raras lágrimas geladas,
Fria como o sentimento que ainda se passa,
Que os enlaça,
Doído..
O peito chora,
Sangra,
E em ternos sentimentos,
Cicatriza marcado,

Mas ali ainda permanece,
E escorrendo pelo rosto céptico,
Delineia-se traços vívidos,
Mas em foco dos olhares,
Os corações,
Os sentimentos
As intenções,
Os desejos,
As condições;
E o comum objetivo,
O contato entre os corpos e ternas afeições.”


Por Lincoln Ohszmãnn

Recordar

"Nem sequer consigo esquecer-te um minuto,
Nem ao menos entendo sua ausência,
Sinto tanto sua falta,
Seu carinho,tornou-se dependência.
Nem sei mais como estou a viver,
Sendo que à todo instante,
Recordo de seu belo rosto,
De seu jeito meigo,
Do seu sorriso,
E do que me fez te entender!
E hoje só e distante,
Apenas concluo esperançoso,
Que brote desse amor,
felicidade de novo,
E que simples palavras,
Mas fortes como estocadas de espadas,
Possam relacionar e revelar-te,
O quanto és amada!
E que dure por mais de anos,
O meu grande sentimento;
Te amo."

Por Lincoln Ohszmãnn

Sentimentalismo Dançante

Nesta melodia,
Melancolicamente, componho cada oitava,
Cada passo e compasso dessa dança!
Coreógrafo!
Cada movimento um intento,
Cada gesto um invento
E expresso!
Te coloco, e almejo,
Te espero e desejo
Em foco de meus anseios
O sabor do seu beijo!

A reciprocidade desse amor,
E essa saudade com dor,
Fazem do meu coração,
Cada dia maior
E o que foi alegria
Me faz sofrer nessa paixão.

Possessivo,
Agressivo,
Protejo meu maior bem
Minha maior riqueza,
Defendo meus instintos
E o que amo
Com clareza!

Me reprimo em dificuldades,
Faço de cada pulsar ambigüidades,
Espero cada minuto,
Ansioso todo momento,
Aguardo você e nosso amor
Todo momento.
Loucuras eu cometi,
Você me mudou,
E nessa nova fase,
É você que me ofegou.

Cada batida, vai ainda ao fundo
Cada harmonia ainda tome meu mundo,
E fora de órbita,
Me tornei vagabundo, longe de minhas normalidades,
Sedado por esse amor!
Absorto, e semelhante a morto, meu coração lacrimeja o sangue mais triste e calado,
Condoído e pesado, dele faço minhas últimas lamurias.

Longe, longe, de você
O peito aperta,
A mente aberta
Que se convence..
Pouco a pouco,
Me faço em pedaços e só permaneço,
Nesse momento me esqueço, e divago.

Fantasio cada sonho,
Acordado me componho,
E decomposto me torno vago,
Sem seu amor por perto
Longe; longe de você,
E do que me torna real

Como você pode,
Como consegue
Deitar e descansar,
Sonhar,
Com todo o sofrimento que estou por passar,
Com cada lágrima fria, que deixo escapar,
Nessa distância a mesma saudade
Que me faz forte e te amar,
Me faz sofrer e chorar,
Sua falta.

Queria ser um dia melhor do que você
Pra não mais chorar, emagrecer, e falecer!
Queria eternizar todo esse sentimento
E fazer do meu amor,
Como o vento,
Forte, capaz de mover lugares, mas sutil quase não notado.

Queria te fazer existir dos planos sonhados ,
Mas sei, que prevalece o abdicado,
Ainda me lembro de todos afastados,,
Não seria diferente ser amado?
Outra vez,
Deixado

Tens um poder,
Uma magia,
Transportador de alegria,
Volto a sonhar e ser lembrado,
Volto a ser como as chamas do fogo aceso e soprado.
Que nasce e renasce,
E Resplandece, incandesce;
E lamuriante me torna amante.


Por Lincoln Ohszmãnn

Eu Liricando - Seus vestígios...

Seus vestígios...

É.. seu rosto angelical, seu ar sedutor, não passaste de suas artimanhas, pra transportar.. tanta falsidade e dor..

O que antes havia renegado, e mal falado, hoje te compõem em agrados e aceitos, você não pode nem ao menos ocultar seus defeitos!

Em suas falas esperanças, em suas falsas promessas, em sua falsa vida, o seu falso caráter te desdenha e indica.. você me evita, por que ainda teme que eu possa te afetar..

Nunca neguei que deveras ainda restam vestígios de seus encantos, mas que me afetam de maneira incomum, não me trazem amor, apenas dor.. de ter ferido meu orgulho, e dos sentimentos, outro algum.

Hoje, averiguo seus passos, e deveras encontro suas pistas, expostas, a olho nu, a vista, pra que todos te notem, sua falta de classe, deselegância e covardia, te tornaram um mal amado, sem categoria.

Atingiste o meu ego, e eu seu potencial, sei que te conquistei, e sua fuga foi a indiferença, que te perseguiu, até minha desistência.

Dias desejei sua amizade, mas nessa falsidade, hoje, desejo certezas e purezas, que comportarão achados, porém longe, longe de ti, por que são tesouros resguardados, que não te podem aderir!

Minhas palavras certeiras, que te enforcaram as besteiras, muito mais do sexo, quis ser real, o que sustentei como certo, e ousado, mantive posto ou colocado, mas não cedi, e nem mudei, sou o que sempre fui, e sempre serei, apenas me amoldo com o gênio e convívio das pessoas.

Escorpiano do pulso firme e do coração forte, o ciúme que me compuseste, deveras fosse mais forte. Hoje o ciúme tornou-se ego, orgulho, e você, tornasse todo aquele primeiro sentimento, no meu pior entulho, que acarreta meus dias, por pesar na consciência, e na sua ausência, amaldiçoaste minha vida, e trouxeste a mim a falência!

Vantagens eu colhi, deveras amadureci, e hoje mostro ser o correto, enquanto seus idéias e suas conquistas não passam da incompetência de alguém sem afeto!

Perdão.. mas hoje pretendo levar meus dias, enquanto lhe trarei, sem vingança, agonias!

Não serei eu o culpado, mas o os dias passam, o tempo vai, e serás julgado, enquanto..sorridente, do mais alto espaço, te guardarei até o ultimo estado.

Por Lincoln Ohszmãnn

Própria Vontade

Pessoas quando falam,
Falam como querem
Falam quando querem

Pessoas quando pensam
Pensam como querem
Pensam quando querem

Pessoas quando julgam
Julgam como querem
Pessoas quando julgadas
Jogadas, se quiserem.

Pessoas quando ferem
Ferem quando querem
Pessoas como ferem,
Como ferem se quiserem.


Por Lincoln Ohszmãnn

Lembranças

Ao badalar das doze,
Os despertos olhares que vagam,
Direcionam as poses,
Dos beijos que tragam.

O silencio quebrado
Pelo toque suave,
A língua macia
Despindo o traje
A excitante alegria;
Mantivera calado.

Vibrante e absorto
Ouço certo,
As vozes do corpo,
E mais perto
Amordaçando os sentidos,
Das carícias carentes
Antes reprimidos,
Hoje, então;
Sorridentes.

Foco doravante,
O olhar penetrante,
Dos vestígios, rancores...
Dos bardos lábios
Brotam amores,



E então sábio,
Balbucia rumores,
Dos brotos galgados,
Formadas, as flores.
Dos retratos da vida,
Expostas as cores.

Do gesto sereno,
O calor supremo;
Tocam pulsante o oposto,
Do semblante mais sublime,
Eterniza estático o rosto.

A face esculpida,
No horizonte traçado,
A beleza divina,
Do instante passado.

Dos fortes desejos,
Surgem resquícios do beijo,
Do sentir úmido do carinho,
Fez-me ,
Não mais ser sozinho,
E em toda atração
Selado sempre ao laço do coração.

Divago dias sombrios,
Dos calorosos toques frios,
Que aproximam do sentir,
Ainda por vir,
Sinto as velas iluminando,
Os véus que nos cobrem,
No secreto segredo esperando,
Os beijos que encobrem
O adeus solitário,
Do réu primário,
Condenado a amar intensamente,
À pena perpetua,
De te sentir eternamente.

Pena, Carga, Sina, Praga, Pecado,
Sigo a saga, encantado,
A magia de padecer do castigo,
Pelo qual fui condenado.

Por Lincoln Ohszmãnn

A Jura

"Juro que tento amenizar a perda...
Juro que tento secar as lágrimas...
Juro que tento esquecer...
Juro que tento não te amar...
Juro que me castigo por sofrer...
Juro que esse amor vai até morrer..

Porque a perda me faz sentir lesado..e só tenho ganhos com esse amor
Porque as lagrimas inundam o peito que deveria estar cheio e abundante de você
Porque te esquecendo poderia viver sem esperar por sua presença
Porque se não te amasse tanto, não sofreria
Porque o castigo me lembra que minha pena é não te ter ao meu lado
Porque te amo verdadeira e intensamente de uma maneira que jamais ira compreender."

Por Lincoln Ohszmãnn

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Antes que terminem os dias...

"Recostado em injúrias,
Me apalpo só;

Encontro nas lamúrias,
Migalha;

O pó.

Apoiado na jan
ela,







Melodias me conduzem ao fim;

As memórias me perguntam,

Penso em mim?


Relembro
Revivo
Recomeço...
Dos meus afortunados dias tenho feito a inutilidade,
Buscando a vida em anseios,
E ansiando a vida em devaneios,
Perco a felicidade.

Tão confuso,
Ouço conselhos;
Tomam parte de mim,

Seres sem espelhos.
Anularam-se minhas expectativas,
Nesta espera infindável;
Desacreditado de alternativas,
Me encontro instável.

Mais um fim se aproxima,
Mais um ano se vai;
As palavras me ensinam,
Que tudo que levanta;
Cai.

Mergulhado ao fundo da xícara,
Na borra abstrata do café;
No sono que se perde como a vida frígida,
Perco a fé.

Do alto,
Rolam peças do meu choro.

Como as sábias palavras, caem;
Desencaixando-se em meu colo.

Sou parte do meu mundo,
Sou parte do coro;
Entoamos todos juntos,
Apelos do coração;
Musicamos um mundo,
Vivemos uma canção;
Aquecido pela solidão,
Me abraço em um sorriso amarelo;
Mais um na multidão,
O coração, ontem; singelo.

Tão pálidos quanto a lua,
Os sonhos vazios;
Se tornam mudos,
Como quando o vento varre a rua.

Disposta em comparações,
Ainda nesta encosta;
Vibra em meu rosto,
O ás de copas;
A união dos corações.

Uivam lobos,
Na mesma lua de Israel;
Anunciam sentimentos tolos,
Shhh... Judeu fiel?

O restante das cinzas,
Se apaga lentamente;
Os desejos de idas e vindas,
Pouco me resta na mente.

Confusas palavras do poeta,
Nunca soube falar;
E sempre indireta,
Mensagens por deixar.

Lá no céu,
Brilha a resposta;
Tão ínfima estrela,
Foi feita a aposta.

Embalo o berço de ideias, 
E adormeço inseguro;
Metas feias!,
Quem dirá tú, futuro?

Apenas tentei amar,
Esqueci de ser amado.
Apenas tentei perdoar,
Além de não me amar;
Não me perdoei e nem fui perdoado;
Apenas tentei esquecer,
Quando nem lembrei de mim.

Apenas tentei entender os sentimentos,
Quando nem mesmo sei o que significam.

Apenas tentei entender a vida,
Quando nem a vivi.

Quando me perdeste,
Te encontrei;
Quando te perdi,
Chorei.

Quando fui em busca do amor,
Esqueci de ir com meu coração...
Que insiste em viver longe de mim.
Tudo começa em poemas,
E termina;
Assim.
Quantas, dentre tantas minhas palavras, te amaram,
quando não me amei.

Quantas te protegeram,
Quando permiti que me ferisse.

Quantas minhas belezas a ti, foram burrices,
Foi tudo que me disse.

Eu apenas quis ser bom.
Tão bom pra enfrentar a distância,
O Rio,
A Vida,
A Ganância,O Desejo.

Quantas vezes só esperei um beijo...
E Só esperei.
Quantas vezes planejei nosso corpos consumados,
Quando tú, os tornaste separados.
Obrigado por ter-me feito evoluir;

Obrigado por me ensinar a concluir; (em meu último gole do café), Ainda sem fé;
Que os que amam são coitados,
Que os que amam são tolos, uivantes e desesperados.


Relembro

Revivo,

Recomeço

 

Por Lincoln Ohszmãnn


terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Ame

Ame!

Amei tanto...
Amei de mais, amei excessivamente..Amei de alma, corpo e mente..

Pequei por tanto amar e ao descobrir que nos amores da vida, nunca soube aproveitar.
Amei de menos a quem ao menos me amou, e amei tão frígido, o que me cansou.

Amei tanto, À tantos e amei esquecer.. esquecer de me amar.

Permiti a mim o sofrimento,
Permiti a dor,
Permiti a tristeza,
Permiti as lágrimas
Permiti o perdão.
Só não permiti me perdoar.

Doei saúde,
Doei lágrimas
Doei energias
Doei felicidade
Doei alegrias..

Só não doei sorriso aos meus dias.


Amargurei a mim,
a meu coração,
Amargurei o ciúme,
Supri a
insegurança
Descolori a vida..
Rabisquei a esperança.

Arranquei de mim,
Pedaços lhe entregues,
A do
r que ficaste em mim,
Foi para que não se alteres.

A bele
za do órgão,
Antes perfeito,
Se foi po
r amar,
Amar sem jeito.

O novo tornou-se usado
Mas dentre tudo,
Meu amor foi o mais ousado.

Descobri no amor,
O mais belo sent
imento,
E do amor,
A razão de todos os meus sofrimentos.

Todos vivem até amar,
Depois que amam, e perdem,
Todos passam a ostentar,
Uma paz que todos querem.

O amor seduz,
O amor entorpece,
O amor faz juz,
Enquanto cresce.
O amor nos consome,
E nos castiga,
Por que fazemos da conversa,
A briga.

O amor é indigesto,
Ao enciumar nosso corações,
O amor é um protesto,
De exclusivas paixões.

O amor é a espera,
O amor é angústia,
Pelo amor se venera,
Se engrandece a astúcia.

O amor nos aquece até frios sentirmos a ausência,
O amor existe, pra ser a combustão da saudade,
O amor veio pouco, pra que poucos conheçam a
sua verdade.

O amor é vasto;
O amor é sublime.
O amor um trato,
Que nos reprime

O amor é o amanhecer,
O novo dia,
É o entristecer, assim;
Na solidão do fim,
Deste dia.

O amor é gesto,
Palavras,
O amor é poesia,
O amor quieto,
E nos grita,
Consumindo, pela surdina.

O amor é tabagista,
É alcóolatra,
O amor é consumista,
Depressivo.

O amor é cheio de defeitos, e o causador de muitos defeitos.
Mas o amor é forte
O amor é bruto.
Não nos pede; ao arrancar-nos,
O sentimento absoluto.

E por mais que imperfeito seja o amor,
Seremos eternos amantes.

Serei sempre seguidor, do que me tornou odioso e fulminante.

Amor..






[Lincoln Ohszmãnn]

Receba as atualizações em seu e-mail.

Like!